domingo, 2 de janeiro de 2022

Ano Velho / Ano Novo




O Ano Velho, era velho e já acabou.

Por certo, ninguém mais o esquece!

O Ano Novo, esse, só agora entrou

mas, já com o velho ele se parece!

 

Antes dele entrar, obriga-se a fazer o teste

e ser vacinado com a 5ª ou, até, a 6ª dose.

Se virmos que de infectado ele não preste,

melhor será matá-lo, então, de “overdose”!

 

O mínimo exigido é o Certificado Digital

e o mais que decidirmos, lá para diante.

É que, agora, poderá nem tudo estar mal

mas e se ele nos traz uma nova variante?

 

Pois bem, vamos lá receber o novato

ou o nascituro, como também se diz!

Que não traga uma “pedra no sapato”,

e veja se toma bem conta deste país!

 

Sou bem capaz de não pedir pouco

para um bonito país, dito de eleição,

mas posso ser eu que estarei louco,

olho à volta e só enxergo corrupção!

 

Dizem-nos que vem aí uma “bazuca”

mas olham para ela com um lamento.

A “plebe” ainda não está bem maluca!

Ela, só vem para “curar” o orçamento!

 

E vem, também, para levar a esquecer

aquilo que já há muito tempo tudo grita.

Podem tapar os olhos mas, deixem ver

as aldrabices e os louvores do Cabrita!

 

Até a TAP pelo que nos impingem agora,

vento em popa, vai dar lucro, pois então!

Que isto não saia daqui e sabido lá fora!

São as previsões, para o signo do Leão!

 

Para alguém, mesmo pobre, pôr a render

qualquer coisa, terreno, casa ou dinheiro,

até um bem simples motorista poderá ser.

Apenas terá de conduzir um tal Rendeiro!

 

E se a renda for mesmo muito, muito boa

e levar uma falsa pintura, em tons de azul,

deve dar para deixar, para sempre, Lisboa.

Para viver, do rendimento, na África do Sul!

 

Passado o Natal, na Páscoa o Espírito Santo

vai, como é o costume, ter tudo no tempo seu.

Porém, sem que disso se faça grande espanto,

sem mais, sem razão, Alzheimer lhe apareceu!

 

Foi o caso muito grave, o que a ele aconteceu.

E que parece acontecer a gente idosa, insana.

Um belo dia saiu de casa e “pum”, desapareceu!

Deu por si, vejam bem, numa bela terra italiana!!!

 

Mostrar, na Assembleia da República, uns “cornichos”

foi coisa de somenos ou talvez efeito dum bom vinho.

Porém, além dos “bólides”, tinha ele outros caprichos

e que não se limitavam a garrafita em caixa de Pinho!

 

Aulas, conferências, palestras em douta universidade

lá bem longe onde, por mais que se olhe, ninguém vê

qual seria a sua grande, enorme, fantástica utilidade!

A menos que fosse por uma luz, iluminada pela EDP!

 

Mas, um coitado! Vive muito mal, já ninguém estranha!

Não tem casa. Está em obras bem baratas, de certeza!

Por tal, na penúria, lá tem ele um refúgio, em Espanha.

Em domiciliária. Algarve é a sua residência portuguesa!

 

Diz-se, quem não deve, não teme e quem teme, deve

mas, aqui nesta terra da graça de Deus Nosso Senhor

a quem muito e muito deve, se lhe perdoa! Subscreve!

A esta gente, tudo pagamos, ficamos sempre em favor!

 

Assim para o novo ano, aquele que vai entrar

vamos pedir que haja alguém que nos acuda!

E se há Liberdade, gritemos nós a bom gritar.

Eles não ouvirão! É só para ver se isto muda!

 

E no dia 30, lá iremos qual bem mandado rebanho

e na urna, estranho nome, colocar nosso papelinho.

Quem irá ganhar? Quem for, não será um estranho 

e eu também não sei. Porque eu, não sou adivinho!

 

Portanto, para finalizar este arremedo de poema,

com meus sinceros votos de que tudo isto mude,

peço que em 2022 o Mundo se una e não trema,

acabe a pandemia e a todos traga, Muita Saúde!


quinta-feira, 23 de dezembro de 2021

Pensamento de Natal

Para todos os meus amigos e visitantes deste blogue, os meus sinceros votos de Festas Felizes e um Santo Natal!



Pensamento de Natal

 

O mundo, em constante convulsão,

arranja problemas sempre novos!

Pandemia, clima, descarbonização,

ocupam todo o tempo aos povos!

 

E neste país que nos calhou em sorte,

os problemas nascem a cada momento.

Aqui e ali há notícias de qualquer morte,

sejam pessoas, governo ou Orçamento!

 

Dir-me-ão que isso não é bem assim

que a realidade é outra, bem distante,

mas para que a vacinação tivesse fim

houve de pedir socorro … ao almirante!

 

Já ninguém sabe qual género é o seu!

Adão e Eva? Esses, já nem estão cá!

Até as flores têm androceu e gineceu,

porém, homens e mulheres, já não há!

 

Mas, hoje, este dia vai ser bem diferente!

A noite negra, terá um céu bem estrelado

e para admiração do mundo e sua gente,

por uma pequenina estrelinha iluminado!

 

Acorrem os pastores e seus rebanhos

ao estábulo, de nascimento feito local

e os anjos entoam cânticos tamanhos!

Ecoa o refrão, “É Natal! É Natal! É Natal!

 

É assim a nossa vida neste planeta Terra

e por mais que a palavra AMOR se pinte

e nesta Santa Noite se pare toda a guerra,

ela volta, de certeza, logo no dia seguinte!

 

Porém, esta nova geração nunca se cansa

e vai apregoando que de tudo ela é capaz!

Será, então, ela a nossa última Esperança

de que possamos esperar a morte, em Paz!


sábado, 25 de setembro de 2021

Há já 12 anos!



Maria Jesus

( 12/08/1911  -  25/09/2009)


Pois foi, há já 12 anos, na verdade!

E também, foi, mesmo nessa hora,

que em nós ficou uma tal saudade

que mais cresce e não vai embora!


quinta-feira, 12 de agosto de 2021

 


12 de Agosto de 1911


Mãe! Lá no Céu, estrela-guia

da minha vida na Terra, tu és. 

Iluminaste o Mundo neste dia!

Há tantos anos. Já cento e dez!


quinta-feira, 15 de abril de 2021

O Milagre "dos rosas" num País dos "cravos" !




“São rosas, Senhor! São rosas!”

(Ou um país que já prescreveu)

 

Neste rectângulo e amostra dum país

de lendas, muitas das quais religiosas,

há uma, já dos tempos de Dom Dinis.

É ela, “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Dir-me-ão que a história não se repete.

Isso é uma das coisas mais mentirosas,

pois ouvi que quem com o PS se mete,

verá que “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Para que se construa um tal Freeport,

basta o Plano Director e umas prosas.

Já não haverá ninguém que se importe,

porque “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

“Licenciaturas” escorreitas, ao domingo,

regadas com tinto e ementas apetitosas,

pode de vergonha não sobrar um pingo

porque “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Até suas excelsas e variadas namoradas

afirmavam sua inocência, tão virtuosas,

quando em seus regaços eram admiradas,

apenas, “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Uma humilde casinha no centro de Paris

poderá não ter umas vistas maravilhosas.

Se tivermos um amigo que nos faça feliz,

esta vida “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Comprar apartamento, herança da mamã,

clamando e usando entoações maviosas,

ou gritando, poderá já não haver amanhã,

que tudo “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Dinheiro bem vivo ou por debaixo da mesa,

serão das coisas desta vida bem insultuosas

mas, poderão ter todos bem a santa certeza

de que isso, “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Por vezes quero versejar mas não consigo.

Vou filosofando, por não necessitar glosas.

Para escrever livros, pago eu a um amigo,

meus louros “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Branqueamento de capitais, mero eufemismo

que serve de desculpa para pessoas manhosas.

Branquear, não pode ser considerado racismo!

Branco é puro, “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Alguns pequeníssimos esquecimentos fiscais

apenas tornam as operações menos onerosas.

Coisa pouca no parecer duns doutos tribunais

e pelo visto, “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Depois de tudo que se viu, ouviu e aconteceu,

que as pessoas pensem e não sejam maldosas

e cá ficámos a saber que este país prescreveu,

pois nele tudo “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Todos estavam desejosos de ver a nossa justiça

sem peias, punindo o mal das situações dolosas.

Esqueçam, por bem maior que seja o dolo, chiça,

tudo vai impune, “São rosas, Senhor! São rosas!”



segunda-feira, 29 de março de 2021

SANTA PÁSCOA !

 

Nos tempos conturbados e difíceis que vivemos, aqui fico os meus votos sinceros de muita saúde e uma Santa Páscoa para os meus amigos e visitantes deste blogue!





Páscoa … em estado de emergência!


Já passou mais de um ano!

Este Mundo anda perdido!

De engano em desengano,

vai tudo perdendo sentido!

 

Nesta Páscoa, o sentimento

deste povo, mas em surdina,

é apenas, ansiar o momento

duma tão propalada vacina!

 

A Quaresma foi esquecida

e esquecida foi a História!

Esquecem que nesta vida

nunca haverá moratória!

 

E a urbe que tanto chora

e que maldiz a pandemia,

talvez já sinta, nesta hora,

os espinhos da Sacra Via!

 

O Homem será novo se aprender

olhando, lá bem no alto, a Jesus

e quando seu coração souber ler

Sua mensagem, pregada na cruz!


sábado, 20 de fevereiro de 2021

20 de Fevereiro de 1886

 




Bem de manhã, ao alvorecer

e pela Santa graça do Senhor,

a Terra uma moça viu nascer.

O seu nome da graça, Leonor!