quinta-feira, 15 de abril de 2021

O Milagre "dos rosas" num País dos "cravos" !




“São rosas, Senhor! São rosas!”

(Ou um país que já prescreveu)

 

Neste rectângulo e amostra dum país

de lendas, muitas das quais religiosas,

há uma, já dos tempos de Dom Dinis.

É ela, “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Dir-me-ão que a história não se repete.

Isso é uma das coisas mais mentirosas,

pois ouvi que quem com o PS se mete,

verá que “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Para que se construa um tal Freeport,

basta o Plano Director e umas prosas.

Já não haverá ninguém que se importe,

porque “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

“Licenciaturas” escorreitas, ao domingo,

regadas com tinto e ementas apetitosas,

pode de vergonha não sobrar um pingo

porque “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Até suas excelsas e variadas namoradas

afirmavam sua inocência, tão virtuosas,

quando em seus regaços eram admiradas,

apenas, “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Uma humilde casinha no centro de Paris

poderá não ter umas vistas maravilhosas.

Se tivermos um amigo que nos faça feliz,

esta vida “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Comprar apartamento, herança da mamã,

clamando e usando entoações maviosas,

ou gritando, poderá já não haver amanhã,

que tudo “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Dinheiro bem vivo ou por debaixo da mesa,

serão das coisas desta vida bem insultuosas

mas, poderão ter todos bem a santa certeza

de que isso, “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Por vezes quero versejar mas não consigo.

Vou filosofando, por não necessitar glosas.

Para escrever livros, pago eu a um amigo,

meus louros “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Branqueamento de capitais, mero eufemismo

que serve de desculpa para pessoas manhosas.

Branquear, não pode ser considerado racismo!

Branco é puro, “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Alguns pequeníssimos esquecimentos fiscais

apenas tornam as operações menos onerosas.

Coisa pouca no parecer duns doutos tribunais

e pelo visto, “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Depois de tudo que se viu, ouviu e aconteceu,

que as pessoas pensem e não sejam maldosas

e cá ficámos a saber que este país prescreveu,

pois nele tudo “São rosas, Senhor! São rosas!”

 

Todos estavam desejosos de ver a nossa justiça

sem peias, punindo o mal das situações dolosas.

Esqueçam, por bem maior que seja o dolo, chiça,

tudo vai impune, “São rosas, Senhor! São rosas!”



segunda-feira, 29 de março de 2021

SANTA PÁSCOA !

 

Nos tempos conturbados e difíceis que vivemos, aqui fico os meus votos sinceros de muita saúde e uma Santa Páscoa para os meus amigos e visitantes deste blogue!





Páscoa … em estado de emergência!


Já passou mais de um ano!

Este Mundo anda perdido!

De engano em desengano,

vai tudo perdendo sentido!

 

Nesta Páscoa, o sentimento

deste povo, mas em surdina,

é apenas, ansiar o momento

duma tão propalada vacina!

 

A Quaresma foi esquecida

e esquecida foi a História!

Esquecem que nesta vida

nunca haverá moratória!

 

E a urbe que tanto chora

e que maldiz a pandemia,

talvez já sinta, nesta hora,

os espinhos da Sacra Via!

 

O Homem será novo se aprender

olhando, lá bem no alto, a Jesus

e quando seu coração souber ler

Sua mensagem, pregada na cruz!


sábado, 20 de fevereiro de 2021

20 de Fevereiro de 1886

 




Bem de manhã, ao alvorecer

e pela Santa graça do Senhor,

a Terra uma moça viu nascer.

O seu nome da graça, Leonor!


sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

19 de Fevereiro de ... 1906 . Um dia feliz!

 


Num lar humilde e bem pobre,

um ninho, da família Celorico,

um choro alegre a casa cobre.

Ainda pobre, ficou mais rico!


domingo, 14 de fevereiro de 2021

Um CARNAVAL ... mascarado !


  
                                   (E aqui, qual é o verdadeiro Carnaval?)
 

Um Carnaval … mascarado!

(des… confinado, des…vacinado, des…graçado)


Se esta maldita pandemia

leva tanta gente a morrer

haja um pouco de alegria

que é a vacina para viver!

 

Num cantinho, a ocidente da Europa,

há um país, como não há outro igual,

Brinca comigo, contigo, com a tropa!

Parece que vive sempre em Carnaval!

 

Espantoso! Duma forma bem sentida,

esta notícia até me está a deixar tonto!

O governo teve extraordinária medida!

Carnaval? Não há tolerância de ponto!

 

Diz o povo que aos amigos dá-se tudo!

Também não quero que lhes falte nada!

Recebam então, de mim, neste Entrudo,

esta minha tão assintomática mascarada!

 

Se o Carnaval no Mundo faz sentido,

no nosso Portugal, com maior razão!

Como a política, nunca será proibido!

Está ali bem escrito, na Constituição!

 

Sentem-se, cada um em sua cadeira,

com o devido distanciamento social!

Vamos lá! Dê-se início à brincadeira

e assistamos, ao bem luso Carnaval!

 

À frente do desfile um mascarado,

seguido pela sua comitiva maluca!

Vem ele, palavroso, bem montado

numa enorme, gigantesca, bazuca!

 

E vou olhando com muita atenção

para que deles nenhum me escape.

Vejo aquele a fugir com um avião.

Deve ser algum que resta da TAP!

 

Em tempos idos, os que já lá vão,

pôs alemães com pernas a tremer!

Agora quer ele uma reestruturação.

Paga “zé povinho”, a bom gemer!

 

Mas o palhaço, diz ser muito bom,

e é assim mesmo que tudo o indica.

Di-lo que é bem a cara do PS bom,

quem pinta seus lábios “à Benfica”!

 

Titubeante, lá vem, e não me engano,

dos jornalistas o terror, “o magarefe”,

trazendo ao colinho um só ucraniano,

e fazendo afagos à directora do SEF!

 

O que também me parece ele trazer

e decerto não sou só eu que tal acho,

debaixo do braço enrolado creio ver

o que servirá ao Costa. Um capacho!

 

E se aqui neste lindo país, nossa terra,

o que todos queremos é viver em paz,

eis que todos nós entramos em Guerra

que é o melhor que a Justiça nos traz!

 

Guerra que pelo visto, nos é imposta!

Que perdemos de certeza quase certa,

mas esta mascarada é disto que gosta,

armando-se, sempre, de muito esperta!

 

E porque isto tudo já cheira a porcaria,  

negócios de corrupção, de muito cartel,

para me defender desta outra pandemia

lavo as mãos com sabão, ou álcool gel!

 

Para mostrar do que esta gente é capaz

sem, pelo menos, se mostrar algo aflito,

vem alguém, proclamando estar em paz

pois vacinou a mulher, gato e periquito!

 

Ainda há coisas mais para a gente ver

e bem interessantes que todas elas são.

Vejo médicos alemães, pernas a tremer,

de medo mal podendo descer do avião!

 

E na pista deste Carnaval, douta comitiva

arrogante, anunciava, muito senhora de si,

estendendo a rosa passadeira, bem altiva,

“Willkommen tolle freund”, é já por aqui!

 

Noutro ponto deste Mundo, um qualquer,

até que um Carnaval poderá ser diferente,

porém, num país do salve-se quem puder,    

o dia a dia é lindo! Carnaval permanente!

 

Com o Bloco de democratas, adiante,

que se apresentam em todos os anos,

Chega, lá ao fundo, cantando o cante,

um rebanho de fascistas, alentejanos!

 

Lá vem a marcha dos públicos hospitais

mas, ali bem perto, mantendo a distância,

ouve-se o coro de rastreados soltando ais.

É a esperada festa, a festa da ambulância!

 

E tal barulho era tanto, tanto, tanto,

que para não provocarem desacatos,

desapareceram, como fosse encanto!

Tudo obra e graça do Luís de Matos!

 

Agora adivinhem quem lá ao fundo passa,

clamando e dizendo palavras sem sentido!

Lá vem, da pandemia arauto da desGraça,

um vírus, da bendita DGS, muito Temido!

 

E, eis que neste Carnaval sem sentido,

surge uma boa ideia, que não é minha!

Depois de tanta, tanta, água ter metido,

foram buscar um homem, da Marinha!

 

Ali vem Jesus e atrás de si a revolta

duma imensa turba que ele conduz,

clamando por melhor segunda volta

ou, então, o último só apaga a Luz!

 

Até a catedral da rubra religião

onde dizem a corrupção medra!

Oh, grande tristeza! Essa então,

não irá ficar pedra sobre pedra!

 

Podem querer ver o fim a este desfile,

mas eu, confesso, já me sinto cansado,

pois que ainda que o povo muito refile

terá que se manter em casa, confinado!

 

Portanto, vamos a levantar da cadeira,

cumprindo a regra que a todos arrasa.

Amigo, acabemos com a brincadeira!

Paciência! Vá, cuida-te, fica em casa!

 

Ainda um último aviso. Atenção!

Espero que seja, apenas, mais um!

Lavar bem as mãos, é com sabão!

Máscaras, isso, é no lixo comum!

 

Quando a pandemia acabar, clima ameno,

o governo tomará uma das suas iniciativas,

apoiar a nossa Cultura no Campo Pequeno

e permitir reuniões políticas, mas criativas!

 

Procurei muito, em toda a Medicina

e fui da mais antiga à mais moderna,

mas não encontrei sequer uma vacina

para um tal governo que não governa!

 

Portanto, pode o povo estar descansado 

que já está quase debelada a pandemia!

Prioritário, idoso ou não, será vacinado!

Se não for ainda neste ano, será um dia!

 

Se o vírus cá ficar e a vacina não aparecer,

então, vamos encher um saco de paciência

e depois o melhor que nos pode acontecer

é viver, sempre, em estado de emergência!



P.S.:

Será bom lembrar o que a vida nos ensina

e que também deste luso Carnaval emana!

Todo o mundo, até mesmo a própria China,

vai tremer, só de cheirar a variante lusitana!

 


quinta-feira, 31 de dezembro de 2020

Será que 2020 existiu?

 




2020 (Sonho ou pesadelo?)


Lá vai o ano velho, envergonhado

por deixar tanta doença e maldade.

Deixa um mundo inteiro confinado

e só não nos deixa grande saudade!

 

Já espreita o ano que dizem novo,

e a medo vai batendo a cada porta.

Assoma à sua janela o pobre povo,

gente triste, mete dó, quase morta!

                          

Os novos, depressa velhos são

e aquilo que a vida nos ensina

é que pode ser grande a ilusão

mas para morte não há vacina!

 

Portanto, face a esta pandemia

antes que ela mais de desregre,

vamos vivendo o dia após dia.

Depois, aguentar e cara alegre!

 

O que este ano nos pode trazer,

isso ainda o não sabe ninguém,

mas eu julgo que poderei dizer

que ele entre, se vier por bem!

 

Não devemos criar muita ilusão!

Talvez não seja muito diferente,

pois que teremos, após a eleição,

surpresa, um mesmo presidente!

 

Mas, se neste novo ano nada muda,

num país onde há tanto para mudar,

então, que Nosso Senhor nos acuda

e nos leve muito depressa a vacinar!

 

O velho ano ainda não saiu de cena!

É isso, malvado, ainda não se sumiu.

Então, tornemos a vida mais amena

e façamos de conta que não existiu!

 

Se o novo ano, ao chegar ao fim,

tiver levado com ele a pandemia

meus caros senhores, então sim,

partirá, velho e cheio de alegria!

 

E para que isto termine em beleza,

ainda que nada desta vida se mude,

só os meus votos são uma certeza.

Feliz Ano Novo com muita Saúde!


domingo, 13 de dezembro de 2020

Um Natal ... (em tempo de pandemia)

 

Neste ano da graça de 2020, o Natal será ... menos alegre! 

No entanto, não quero deixar de desejar a todos quantos seguem este "blogue" e aos esporádicos visitantes, um Natal Feliz com muita saúde e Esperança em dias melhores! 


( Adoração dos Pastores )
( Caravaggio )


NATAL… (em tempo de pandemia)

 

O mundo parece andar sem norte,

perdido e sem rumo, dia após dia.

Tempo de doença, vacina e morte

que nos trouxe maldita pandemia!

 

Acende-se uma luz de Esperança

para que se acabe todo este mal.

Num estábulo nasce uma criança!

Tudo no Mundo parará. É Natal!

 

De longes terras ao estábulo irão

gentes guiadas pelo bendito sinal,

máscara na cara, lavadinha a mão, 

tudo com o distanciamento social!

 

Os Reis Magos, foram já testados,

burro, vaca e pastores igualmente,

descem dos céus os anjos, alados,

cantando ao Menino alegremente.

 

E uma vez ao estábulo chegados,

perguntam-lhes o José e Maria:

Por acaso, não estarão infetados?

Não nos tragam mais pandemia!

 

Que pergunta? É fácil o motivo!

Está assintomático? Temos pena

pois, enquanto não for negativo,

vai ter de cumprir a quarentena!

 

Mesmo, ali no céu, aquela estrela,

sempre de grande luminescência,

tem uma nuvenzita a escondê-la.

Está no “estado de emergência”!

 

Tudo isto, abaixo à Terra chegou

mas o Povo não o esquece, afinal,

contra o que “Herodes” ordenou,

nasceu o Deus Menino. É Natal!!

 

------------- zzz --------------

 

Isto, é o que trouxe um Natal,

o que deste ano vos é contado

e para sacudirmos todo o mal,

fica todo o Mundo confinado!

 

Com isto, não perco o ensejo

de enviar, a todo o luso povo,

o que é o meu sincero desejo.

Feliz Natal e Bom Ano Novo!