quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

E...2017? Seja o que Deus quiser!


E...2017? Seja o que Deus quiser!

O Ano Novo, ali à porta, já entrou! 
Do Velho, o mundo já se esqueceu.  
Foi com o Velho que ele se deitou,
e foi com o Novo que amanheceu!

Neste país, na austeridade,
havia um nevoeiro espesso
mas hoje é tanta a claridade
que já vejo o país do avesso!

Belo país que, agora, já vive bem
mas com tanta ideia bem esconsa.
O povo já ri. Anda num vai e vem, 
sempre aos toques da “geringonça”!

Se tiver apenas uma habitação
e mostrar o seu tom bronzeado
claro, não há sequer hesitação,
vai ter o seu IMMI aumentado!

Uma casa com vista para a neve
e para um caminho bem gelado,
está visto que também esta deve
ter o seu IMMI bem aumentado!

Talvez não pague mesmo nada
e isso não deverá será mistério,
se por acaso sua última morada
for, como normal, no cemitério!

Depois de ter, com tanto gosto,
embebedado o bom Zé povinho,
diz-se pronto para um imposto
a quem beber só o seu copinho!

Onde está o paladino da justiça
que dele já nem o cheiro sinto?
Ninguém mais o ouviu! Chiça!
Perdeu o pio, o Marinho Pinto? 

O ensino já está muito melhor!
O país já de mais não precisa!
Cada aluno é agora um doutor!
E o governo, isto PISA e repisa! 

Deste governo é, pois, tal orgulho
quer alguém queira ou não queira!
Isto deve-se, não causará engulho,
ao bem ilustre “ministro” Nogueira!

Há professores no desemprego!
Isso só deve ser uma brincadeira
porque eu vejo, em bom sossego,
esse ilustre “ministro” Nogueira!

Que boa, a Concertação Social
e num ambiente tão sossegado.
Tudo certo, foi tudo tão natural.
Foi tão fácil, amansar o “gado”!

Nesta “geringonça” tudo é normal
e a outra conclusão eu não chego
mas, parece-me por menos, afinal,
pediram a demissão dum Borrego!

Por isso perdoem-me que eu insista.
Para uns é trigo e para outros cevada,
porque a culpa é dum certo jornalista
e o gado, bem, é tudo da vida privada!

O BES, já não tem espoliados!
Este governo ouviu-lhes a voz.
Foram pelo Salgado enganados
mas serão pagos por todos nós!

Vai ser criado o feriado do Carnaval?
Deixem-me ser um “amigo da onça”!
Tenho para ele uma sugestão. Que tal,
ser o “Dia Nacional da Geringonça”?

Este país, já não tem emigrantes,
são embaixadores no estrangeiro.
Muito diferente do que era dantes.
Já nem queremos o seu dinheiro!

Já não morre ninguém nas urgências
porque a assistência médica é total
e se morrer, são umas minudências
que a nossa gente já nem leva a mal.

Médicos, são eles às carradas
e de enfermeiros nem se fala.
São as “melhorias” apregoadas
mas a informação, agora, cala!

Tudo está melhor, dizem os jornais!
Sem dúvidas! É certo, sim senhor!
Só que os relatórios, internacionais,
também dizem, ser do ano anterior!

Este país, já tem novo presidente!
Este, dá-nos “feelings” e afectos!
Mesmo assim, sendo tão diferente,
é um país que não está para netos!

E se depois de tudo isto e o que vier,
a “geringonça” chegar até ao Natal
então, gente, seja o que Deus quiser,
porque continuará o nosso Carnaval!


sábado, 31 de dezembro de 2016

O Estaleiro Naval da CUF/Navalis/Lisnave ... existiu !


O Estaleiro Naval da CUF/Navalis/Lisnave 
... existiu!



Hoje, dia 1 de Janeiro de 2017, quero assinalar um outro dia 1 de Janeiro, mas há já 80 anos, em 1937.
Nesse dia, o Estaleiro Naval da AGPL, por Decreto de 15 de Dezembro de 1936, era arrendado à Companhia União Fabril.
Do que foi a vida deste estaleiro, que deu origem à Lisnave, excuso-me de o referir neste momento, porque apenas quero lembrar, nesta data, algo que muitos conheceram, muitos mais nunca ouviram falar e levará poucos anos até que seja completamente esquecido um estaleiro que ocupou milhares de trabalhadores, que dignificou a indústria nacional, mormente a construção naval e que hoje já parece não ter existido!

(Retirado de lmcshipsandthesea.blogspot.com)










domingo, 11 de dezembro de 2016

E ... o Menino Jesus ? Onde está ?






 E … o Menino Jesus? Onde está?

Numa mansão enorme, diria quase irreal,
uma também enorme árvore, toda ela luz
e repleta de brinquedos, prendas de Natal.
Mas, estranho, onde está o Menino Jesus?

Mais além, uma casa, música celestial,
também bem cheia de tudo quanto há.
Alegre, a família comemorava o Natal!
Mas o Menino Jesus, Ele onde estará?

Noutra alegre casa, ainda além mais,
a criançada rindo, corre de cá para lá,
festejando o melhor de muitos Natais!
Mas, o Menino Jesus? Aqui, não está?

Admirado, fui caminhando noite fora,
julgando que seria minha tal confusão
e que do Santo Natal não seria a hora,
quando algo chamou a minha atenção.

Numa humilde casa, bem pequena,
foi decerto um milagre o que eu vi.
Numa pobre criança, muito serena,
Jesus, baixinho, dizia:- Estou aqui!



Com este poema, deixo aqui a todos os meus amigos e aos visitantes deste blogue, os mais sinceros votos de Bom e Santo Natal!


quarta-feira, 2 de novembro de 2016




Dia dos Finados






Mais um Dia dos Finados,
em que os finados desta vida
por nós vão sendo lembrados
sempre duma forma sentida.

Assim é, o Dia dos Finados!
Com tristeza e melancolia,
louvamos nossos passados
que nos deixaram um dia.

Este o sentimento que ficou,
neste Outono quase Inverno,
a quem um dia nos deixou,
deixando-nos amor eterno.

Com tudo o que significa,
espelho do nosso amor,
nestes versos aqui fica
pequenina e terna flor!



("Post" já aqui colocado em 2013)

domingo, 25 de setembro de 2016

7 anos se passaram !




25/09/2009

E os anos se vão passando,
mas não diminui a nossa dor!
Lembranças nos vão ficando!
As lembranças do teu  Amor!

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Santo António revisitado !





Em devido tempo, o Grupo Amigos de Lisboa, com o apoio da CM de Lisboa, levou a cabo um Concurso de Quadras Populares, alusivas ao Santo António, sujeitas ao mote:

Falando aos peixes, o Santo
Deu p´la falta da sardinha.


Até aqui tudo bem, só que eu, como não sou de ficar quieto, resolvi meter-me no assunto e lá enviei 3 quadras, o máximo permitido pelo Regulamento.
Deste meu trabalho, resultou a recepção duma carta onde me diziam ter sido atribuída uma Menção Honrosa à seguinte quadra, da minha autoria:
Falando aos peixes, o Santo
Deu p´la falta da sardinha.
Sumiu-se! Olha o espanto!
Viu o gato da vizinha!

É, pois, com redobrado prazer que após a recepção do respectivo Diploma referente à Menção Honrosa e de duas publicações, "LISBOA 1850 até ao futuro" e "Lisboa d'outros tempos", faço um regresso ao passado e revisito o padroeiro desta cidade, aguardando pelo Concurso do próximo ano.


sexta-feira, 12 de agosto de 2016

12 de Agosto de 1911 !!!





12 de Agosto de 1911


O céu azul estrelou, lá no Castelo,
porque num dia de grande alegria,
num modesto lar e muito singelo,
Maria, outra estrelinha, nascia!